Neblina em Itapuã às 13 horas do sábado, 04/08/2018

Largar, ou não largar*? Esta foi a difícil decisão que eu e um grupo de experientes velejadores tivemos que tomar na quinta-feira, 02/08/2018. A 24 horas da largada programada do VI Cruzeiro-Regata Porto Alegre – Tapes, com em torno de 90 participantes, as previsões meteorológicas disponíveis na Internet ainda não nos traziam confiança suficiente para decidirmos pela largada. Um mínimo de consistência entre uma e outra previsão precisaria haver para considerá-las confiáveis.

Os grandes prejuízos por não largar são conhecidos. Já os de largar poderiam ser infinitamente maiores, em caso de condições meteorológicas inadequadas aos participantes.

A decisão foi baseada, principalmente, na fragilidade das previsões muito alteradas a cada poucas horas, e que se sucederam nas telas dos aplicativos de meteorologia até a véspera da largada. Além disso, tivemos a sábia colaboração do Cmte Cristian Yanzer, recomendando não largar. Muito obrigado, Cristian!

Independentemente do que viesse a acontecer com as condições do tempo no sábado 4, o dia em que navegaríamos na lagoa, estávamos seguros quanto à decisão tomada: largar com as previsões que tínhamos seria uma temeridade.

Neblina inviabilizaria a relargada
De qualquer forma, a relargada prevista na ilha Francisco Manoel (“Chico”) para as 7:00h do sábado não teria acontecido, devido à neblina fechada no Rio Guaíba. Quem diria?… A previsão era de vento capaz de chacoalhar os barcos atracados na ilha, ou seja, nada a ver com neblina.

A neblina começou a levantar após as 9:00h, conforme os velejadores que lá pernoitaram. Mas às 13:00h do sábado (assista o vídeo abaixo) ainda havia neblina em Itapuã. E só se dissipou quando entrou o vento, horas mais tarde.

A relargada na Chico após as 9:00h teria comprometido o restante do evento. Imagine-se relargar com neblina, por pouco que ainda fosse, navegando da Chico a Itapuã pelo canal de navegação por onde trafegam os navios!

A relargada tardia nos obrigaria ainda a enfrentar o acentuado e desfavorável vento previsto, ainda na lagoa, com barcos de menos de 30 pés e motor de popa. A estação meteorológica de Mostardas registrou 4,2m/s, ou seja, uns 8,5 nós a partir das 17 horas de sábado.

E sem falar no atraso para o jantar…

“Parede branca na hora do pipi”
“Achamos estranho terem adiado o evento, pois estava calmo e gostoso ….. o problema começou de madrugada. A neblina dava para cortar com faca! Dentro da lagoa nao dava para ir …. por isso demos a volta em Itapuã para nao sermos engolidos por ela…. nunca vi nada igual. La pelas 6 da manha, na hora do pipi, fora da gaiuta parecia que tinha uma parede branca”, informou o Cmte Vernauer, que velejou no sábado até Itapuã.

Agradecemos o apoio recebido sobre a decisão de adiamento manifestado nos grupos de What’s do Veleiros do Sul e Cruzeiristas RS, e através do telefone.

Até sexta, 17 próxima!

Danilo.

“Ventos, Chuvas, trovões, lembrai-vos de que o homem terreno é apenas uma substância que sempre vencereis”. (Shakespeare, Péricles (1608-1609) Ato II – Cena I: Péricles)

____________
(*) Dar a largada, autorizar a largada, confirmar o início do evento náutico

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here