É com enorme pesar que comunico o falecimento do Comandante Emersom de Moura Chaves, ocorrido nesta noite. Natural de Santa Maria RS, o comandante do veleiro “Passatempo” vinha lutando bravamente contra o câncer há alguns anos.

Muito determinado, em seus 45 anos de vida, Emersom ensinou a quem o rodeava da importância de ser prestativo e solidário, e a prestigiar suas relações. Era exemplo de vida para os amigos que tanto o respeitavam, o acompanhavam e o consultavam. Era amigo!

Em seu veleiro “Passatempo”, passou grandes momentos de alegria com a esposa Alessandra e seus filhos João, Vitória (foto) e Clarissa, todos os três velejadores de monotipo do Veleiros do Sul. Deixou ainda a filha Maria, que mora no exterior.

Emersom era associado ao Veleiros do Sul e do Clube Náutico Tapense. Conhecia bem o Rio Guaíba e a Lagoa dos Patos, e fez travessias em oceano com amigos velejadores. Marinheiro pró-ativo e com muita presença de espírito, embarcar com ele era garantia de muita alegria a bordo.

Em novembro passado velejamos no Passatempo, de Porto Alegre a Tapes (foto abaixo). Em Dezembro, Emersom já estava a bordo do veleiro Crioula, no translado de Florianópolis a Rio Grande. Tinha planos de ir a Punta del Este e preparou a rota.

O Cmte Emilio Oppitz conta que há alguns anos estava sozinho em seu veleiro Adriana, fundeado no Roncador (Enseada de Tapes, Lagoa dos Patos), quando viu Emersom com toda a família a bordo do Passatempo, fundear nas proximidades. Não se conheciam. Após a faina do fundeio, Emersom desembarcou e foi caminhando pelas águas rasas do Roncador em direção ao Adriana, com duas latas de cerveja na mão. Apresentou-se e deu uma lata ao novo amigo. Tempos depois, Emilio convidou Emersom para velejarem de Florianópolis a Porto Alegre.  Anteontem o Cmte Oppitz veio de Tapes e esteve visitando Emersom no HMV, dentro dos encaixes de visitação coordenados pelo grupo de what’s “Amigos do Emersom”, criado para organizar o acompanhamento dos vários amigos que se revezaram na visitação e suporte.

Por iniciativa do Comandante Lidson Cancela, depois que a medicina já havia se rendido, levamos uma feijoada preparada por ele, e vinho para o Cmte Emersom. Éramos 9 amigos no apartamento. Fizemos nosso amigo se alegrar dentro do possível.

A característica mais marcante do Cmte Emersom era o quanto valorizava a vida. Depois de toda a coragem com que encarou a doença, dia desses sentiu que definitivamente estava por deixar de navegar a vida, e deu um recado à Ale (sua esposa): “Diz pro Lidson ir preparando o chopp”. Emersom queria que seus amigos brindassem por conta dele à sua memória.

O Veleiros do Sul e a Vela Gaúcha estão de luto. O Comodoro do Veleiros do Sul, Eduardo Ribas, determinou bandeira a meio mastro.

Na foto abaixo, Emersom, ao fundo, transbordando de alegria ao lado do Cmte Lidson Cancela, seu irmão de coração, e eu, a bordo do veleiro “Passatempo”, fundeado na Enseada de Tapes (Lagoa dos Patos), no final de 2017.

Às vésperas do falecimento, o Comandante Emersom começou a enviar mensagens a seus amigos, mas não conseguiu vencer a longa lista:

“Não deu mais do que isso. Tô indo, mas com a certeza de quem foi até onde pôde. Te amo. E foi uma bela vida enquanto te conheci. Bj. Emersom.”

_____________________________

Velório amanhã, domingo, 19/08/18, na Capela 2 do Crematório Metropolitano São José, na Av. Oscar Pereira, 584, bairro Azenha, das 7 às 17h, quando ocorrerá a cerimônia de cremação.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. meus sentimentos à família e cumprimentos ao Danilo pela bela e merecida homenagem. A tempos o cmdte. Danilo vem se revelando o melhor tradutor dos sentimentos e anseios da comunidades náutica, com seus textos limpos, muito bem escritos, reveladores de indisfarçável cultura. parabéns pela homenagem e pelo texto, Danilo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here